Poluição, pele e envelhecimento

Não é exagero dizer que a poluição é um mal moderno. Novos dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que nove entre dez pessoas consomem altos níveis de poluente diariamente.  Os piores poluentes do ar são o ozônio, o monóxico de carbono e a fuligem. Mas, de maneira geral, podemos considerar a fumaça das indústrias, dos carros e até do cigarro. Ou seja, se você vive em áreas urbanas, sobretudo nos grandes centros-, com certeza está diariamente exposta a ela.

Pele, poluição e envelhecimento

Mas se antes a poluição era somente associada a alergias e problemas respiratórios, agora a ciência a coloca na lista de piores vilões da saúde da pele. Tanto que o tema tem protagonizado discussões nas últimas edições do congresso anual da AAD (American Academy of Dermatology), em San Diego, na Califórnia.

Entre efeitos mais superficiais e percebidos a curto prazo, como a piora da oleosidade e obstrução dos poros, o envelhecimento precoce é o pior deles.

“A poluição causa estresse oxidativo e inflamação na pele”, explica  a dermatologista Camila Messia, de Salvador. O resultado é a diminuição da síntese de colágeno, mais propensão a formação de rugas e até de manchas. “Além disso está relacionada à piora de doenças de pele, como urticarias, dermatites e mutações do DNA”, completa.

Tratar: como funcionam os cosméticos anti-poluição

Não à toa, os cosméticos que prometem combater e prevenir os efeitos da poluição tem ganhado espaço no skincare, sendo protagonistas dos últimos lançamentos de diversas marcas.  “De maneira geral, eles atuam como antioxidante, e também criam uma barreira invisível de proteção”,  explica Tamires Di Marzo, farmacêutica e cosmetóloga (...)

“Mas além de apostar em cosméticos antioxidantes, higienizar a pele muito bem diariamente é essencial”, aconselha a dermatologista Camila Messia. Sabemos que não é sempre uma questão de escolha, mas evitar se exercitar em horário de pico no meio dos carros, por exemplo, faz diferença no contato direto com os poluentes. Beber muita água durante estas práticas é importantíssimo, além de, claro, manter um estilo de vida equilibrado, sobretudo se alimentando e dormindo bem.

 

ESCRITO POR:  Marcela Rodrigues | Escritora de A NATURALÍSSIMA
http://anaturalissima.com.br/

 

 

Deixar um comentário

Todos os comentários são moderados antes de serem publicados